DURCIMENT (H2)

CARACTERÍSTICAS

O cimento DURCIMENT difere do cimento Portland comum por ser obtido pela fundição de calcareo e bauxita moída misturadas, em fornos de alta temperatura, após o que é enfornado liquido em formas de ferro, resfriado, britado e moído.
Suas propriedades principais são: na pega e no endurecimento o cimento refratário não se desprende cal livre, porquanto o cimento Portland despreende aproximadamente 20%. A predominancia do Aluminato no cimento DURCIMENT lhe confere as seguintes propriedades: resistência ao calor dos concretos ou argamassas prontas até 1200ºC, alta resistência a abrasão e corrosao, endurecimento normal em temperaturas baixas, embora não seja um cimento antiácido, resiste relativamente bem a ácidos que para o cimento Portland seriam bastante prejudiciais. O cimento DURCIMENT não é cimento de pega rápida, o que permite trabalhar com ele facilmente, no entanto a cura é rápida, de moco que em 24 horas podem ser obtidas resistência superiores a 450 kg/cm².

APLICAÇÕES

O cimento DURCIMENT é usado principalmente para concretos refratários nos altos fornos em geral, fornos industriais, lareiras e em substituição ao cimento Portland comum, sempre quando se deseja uma rápida cura e altas resistências iniciais e finais, tanto em concretos armados ou não.
Como em pisos que poderão ser usados após 6 horas, chumbamentos, consertos em fundações e nas mais variadas e imprevisíveis circusntancias, como no caso de um reparo em uma cabeça de protenção, que após 24horas poderá ser protendido, o que no caso de se usar um cimento Portland teria-se que esperar no mínimo 7 dias.
Concretagem junto ao mar aproveitando-se a maré baixa.
Fabricação de pré moldados para uso imediato.
Rejuntamento e assentamento de tijolos refratários.
Chumbamento e fundações para maquinas pesadas que poderão entrar em funcionamento após 24horas.

MODO DE USO

O cimento DURCIMENT é sempre usado com mistura de agregados: areia, brita e água limpa, de preferência potável, a fim de evitar qualquer contaminação.
As ferramentas ou betoneiras a serem usadas devem ser limpas, pois o contato com cimento Portland comum ou cal, faz acelerar o inicio de pega do mesmo. O fator água-cimento deve ser sempre inferior a 0,5.
Em obras de concreto armado usa-se normalmente para um concreto facilmente trabalhável entre 450 a 500 kg/m² de cimento.
Em concreto menos plástico e com agregados ate 50mm, o consumo de cimento poderá ser de 380 a 400 kg/m³.

OBSERVAÇÃO

  • O DURCIMENT despreende calor de hidratação nas primeiras horas rapidamente, de modo que os concretos ou argamassas deverão ser umedecidos durante as primeiras 24 horas constantemente.
  • Concretos de DURCIMENT não podem ser curados a vapor.
  • Deve-se evitar que as formas, tijolos, etc. que entram no concreto com argamassa absorva a água da mesma, devera ultrapassar 40cm, a menos que se prevê um resfriamento interno com canos de água da mesma, deve-se portanto molha-las ou aplicar um desforme tipo REPELMOLD.
  • O volume de concretagem não devera ultrapassar 40cm, a menos que se prevê um resfriamento interno com canos de água ou resfriamento da água de amassamento.
  • Não usar agregados aquecidos pelo sol.
  • As formas não suportantes poderão ser retiradas após 3 horas, para facilitar a cura com molhamento constante. Após 18 horas pode-se retirar todas as formas

CONCRETOS REFRATARIOS

Usar os seguintes agregados em concretos refratários resistentes:

Ate 500ºC Agregados comuns, refratários resistentes
500 ate 800ºC Basalto ou trapp.
800 ate 1050ºC Pozolana ou pedra pomes.
1050ºC ate 1250ºC Shamott 40 a 42% a1O
Acima de 1250ºC Usar carborundun, corundo, mulita ou silimanita

Em concretos refratários os agregados não devem ser superiores a 20mm, como também não devem ser superiores a 1/4 a 1/5 da espessura a ser concretada.
Os pisos de concreto de DURCIMENT tem as seguintes propriedades: alta resistências e compressão, grande resistência a corrosão, alta resistência a abrasão e as melhores resistências a altas temperaturas.
As argamassas de DURCIMENT resistem bem a cloretos, sulfatos, água do mar, óleos vegetais, cervejas, água de esgoto, acido láctico, açúcar, sucos ácidos, sendo o seu uso portanto recomendado para pisos de industrias de leite e queijo, óleos vegetais, usinas de açúcar etc.

CIMENTO DE PEGA RÁPIDA

A mistura de DURCIMENT com cimento Portland proporcionais argamassas de pega muito rápida.
Deve-se misturar o DURCIMENT com cimento Portland a seco.
As proporções poderão variar de: 10 a 20% de DURCIMENT adicionado ao cimento Portland ou 1 a 2 partes de DURCIMENT para 5 de cimento Portland.
As misturas de cimento refratário com Portland não devem ser usadas em concretos armados.

EMBALAGEM

Sacos de 25 kg e 50 kg

VEDA JUNTA FUGENBAND (H3)

CARACTERÍSTICAS

São perfis estrudados em P.V.C. termoplástico, para vedação de juntas de concreto e de trabalho, fabricantes nos tipos O-M-I.

Possuem características, técnicas que lhes dão uma vida útil compatível com a durabilidade da obra e são fabricados dentro das especificações Corps of Engeneers e DIN e ABNT.

COMPOSIÇÃO BÁSICA
Termoplástico de P.V.C.

APLICAÇÃO

Em obras portuárias, barragens, túneis, eclusas, muros de construções, pontes, lajes e reservatórios.
O perfil fugenband é fornecidos por ml, em peças com comprimentos padrão de 20ml, podendo ser fornecido (sob consulta) em comprimentos maiores.
A emenda de duas peças é feita através de uma solda autógena com um aparelho de solda especial, a ar quente, justapondo-se as peças, ou nas obras faz-se a mesma com um perfil retangular de cobre ou ferro polido, aquecido à temperatura de 120ºC a 160ºC. As peças são justapostas com o ferro quente entre as mesmas, após o amolecimento do PVC retira-se o ferro quente e pressiona-se os topos. O super aquecimento estraga o material e e pouca temperatura não funde o PVC. Peças especiais + LT planas ou bidimensionais são fabricadas sob encomenda.

PROPRIEDADES FÍSICAS

Tensão de ruptura por tração – 120 kg/cm²
Alongamento de ruptura – 300%

APLICAÇÕES

Os tipos O são indicados para juntas frias com pouco movimento. O tipo M é usado para juntas visíveis de grande deformação e os tipos I para juntas de concretagem (frias) e juntas perdidas.

MODO DE USO

Os perfis são colocados na forma de concretagem, na posição definitiva, fixando-se com estribos de arame grosso ou fixos com presilhas e arame fino, presos a armadura. No espaço do bulbo (tipo O) e no vão central do tipo M, faz-se o calçamento da junta com madeira ou isopor, com espessura mínima igual ao diâmetro do bulbo (não se deve usar pregos para fixar o FUGENBAND à madeira, com exceção aos tipos que tem língua própria para tal).
Após a concretagem retira-se a madeira e preenche-se a junta com material elástico, tipo mastique asfaltico; caso o enchimento for feito a quente, proteger a junta com uma pequena camada de areia ou material elástico. O preenchimento da junta com material elástico e importante, afim de que não entre na mesma, material sem deformação (pedra ou areia).

TIPOS FABRICADOS LARGURA ESPESSURA PAREDE RESISTÊNCIA A COLUNA D’GUA DESENHO
0-120/3 12 cm 3 Até 20 m
0-220/6 22 cm 6 Até 30 m
0-350/6 35 cm 6 Até 70 m
0-350/10 35 cm 10 Até 100 m
M-220/6 22 cm 6 Até 30 m
M-350/6 35 cm 6 Até 70 m
I-220/6 22 cm 6 Até 100 m

VEDA JUNTA JUNTAPRENE (H5)

CARACTERÍSTICAS

São perfis ocos de borracha sintética de Neoprene, estruturadas para vedação de juntas visíveis na superfície, ao contrario dos tipos Fungeband, que são concentradas no meio da espessura do concreto.
São fabricadas em diversos desenhos, conforme melhor desempenho em função das características das juntas na construção civil.

PROPRIEDADES

Grande flexibilidade e memória elástica, aderência perfil do perfil ao concreto, através de um adesivo especial epoxidico, o que a sua aderência aumentada ao concreto, através de um primer epoxy. O reforço ou recomposição das bordas das juntas é feito através com uma mistura de epoxy com quartzo industrial. Tem a vantagem de se conseguir juntas sem emendas, em extensões grandes e, havendo necessidade de emendas ou acabamentos ns juntas, as mesmas serão feitas com elastometro tipo Thiocol, o qual da boa aderência ao perfil e também ao concreto.
Não recomendamos o enchimento do núcleo do perfil com mastique elastomero ou epoxy, pois os mesmos prejudicam o trabalho do perfil, fazendo com que o mesmo se rompa numa compressão maior.
O núcleo deve estar livre a pressão do ar.

TIPO DE PERFIS DE COMPRESSÃO

A Para juntas de pisos estreitos.
B Para juntas de pisos em áreas cobertas ou não, industrias, aeroportos, corredores, hospitais, etc.
C Para juntas em pontes, viadutos, túneis, canais, etc.
D Perfis especialmente desenhados para juntas de fachadas de pré-moldados.
E Perfil de compressão e cizalhamento especial para pontes apoiadas sobre maior apoio, e outras obras sujeitas e acomodações.

MEDIDAS DISPONIVEIS EM MM

MODELO LARGURA ALTURA ou PROFUNDIDADE
A 15 X 30
20 X 40
B 20 X 30
25 X 35
30 X 40
C 25 X 50
30 X 60
50 X 80
70 X 100
D 15 X 20
20 X 30
30 X 45
E 40 X 25
60 X 35
80 X 50

OBS: Outras medidas e modelos poderão ser feitos sob consulta.

ESCLARECIMENTOS

Os perfis de borracha de NEOPRENE estruturadas em diversos desenhos, já são de conhecimento geral na Europa, desde a década de 60, conforme publicação da Fungendichtungen Masen und Profile, copyright 1960, onde se lê os perfis de Policloprene, são mais caros do que plásticos e elastometros moldados “in-loco”, porem são mais elásticos no frio e tem conquistado uma grande fatia do mercado das vedações. Em em relatório do “United States Department of Commerce Bureau of Public Roads”, editado em Janeiro de 1964, por ocasiao da 43º Reunião Anual do Conselho de Pesquisas Rodoviárias – Washington DC, o departamento recomenda-se o uso de perfis de borracha de Neoprene, coladas com adesivos e precedidas da reparação das juntas com epoxy.

VEDA JUNTA WOHACO (H4)

CARACTERÍSTICAS

São tiras de espumas de poliuretano, elásticas, impregnadas com asfalto, com 2 metros de comprimento, com seção regular.
As mesmas são comprimidas entre as juntas ou peças a vedar.
O poliuretano tem a propriedades de ser compessivel e de voltar ao seu estado normal e, quando sob pressão mantem sua propriedade de querer expandir para voltar a posição normal, memória elástica, razão pela qual ela se auto fixa, tantonas juntas verticais como horizontais e acompanha o movimento das juntas. A impregnação asfaltica, após a compressão fecha as células do poliuretano, promovendo a impermeabilidade da junta.
De acordo com a finalidade da junta deve-se intalar as mesmas ser com as seguintes compressões, em relação a sua abertura, ou seja o perfil deve ser x vezes maior do que a junta:

Vedação de água e vapor sob pressão 1:6
Vedação de água por percolação 1:4
Vedação, vento, poeira, ar, som, vibrações 1:3

 

COMPOSIÇÃO BÁSICA

Espuma de poliuretano

APLICAÇÃO

Juntas na construção civil, em lajes de concreto, em peças pré moldadas, tanto como acabamento definitivo, como calçamento do fundo da junta, para posterior colocação de um elastometro tipo silicone ou poliuretano.
Juntas e frestas em caixilhos de madeira ou ferro, placas, lajes, passagem de tubulações, vão de aparelhos de ar-condicionado e tampas de concreto ou ferro, casas de madeira, etc.; nos telhados de fibrocimento ou chapa de aço, painéis.

MEDIDAS PADRÕES EM CM

1×1 1×2 1×3 2×2 2×3 2×4 3×3 3×6 5×10 4×4 4×8

Nas juntas de concreto, recomenda-se aplicar um primer asfaltico primeiro.

PROPRIEDADES

O produto não mofa, não permite a presença de musgos, é inofensivo e é uma solução barata.
Os solventes em geral atacam o Veda Junta Wohaco, dissolvendo o asfalto.

VERMICULITE (H1)

CARACTERÍSTICAS

O VERMICULITE é um mineral tipo mica, o qual submetido a uma temperatura de aproximadamente 1100ºC, expande-se formando aproximadamente 26 vezes o tamanho inicial. Como cada granulo de VERMICULITE expandido aprisona milhares de células de ar, tornndo-o isolante térmico e acústico por excelência. Depois de expandido o VERMICULITE torna-se extremamente leve.

APLICAÇÃO

O VERMICULITE é usado na construção civil para as seguintes finalidades:

  • Como argamassa, com cimento, em isolamento de lajes, paredes, pisos, regularizações leves e etc.
  • Revestimentos leves para substituir argamassas de revestimentos comuns, bem com enchimento de vão vazios.
  • Isolamento acústico; neste caso misturado com cal e pouco cimento, exemplos: teatros e refeitórios (paredes e tetos).
  • Enchimento de vãos ou paredes duplas para isolar acústica e termicamente (portas contra fogo, paredes de sauna, laleiras, etc). Nes caso, puro.
  • Isolamento de assoalhos, aplicado como argamassa com cimento sobre as lajes absorve os trabalhos das mesmas, evitando que tacos, ou cerâmicas venham a se soltar. Da um perfeito isolamento acústico dos ruídos causados por impactos. Funciona também como isolante contra fogo, evitando que o calor excessivo venha a atingir as lajes.
  • Isolante para tubulações embutidas em prédios.
  • Isolante do fornos e estufas, sendo o melhor isolante térmico para temperaturas de 600ºC a 950ºC. Neste caso, usar cimento refratário DURCIMENT e como absorvente para óleos, águas contaminadas, etc.

ALGUMAS DE SUAS PROPRIEDADES

  • Extremamente leve
  • A prova de fogo
  • Não se decompõe, deteriora ou apodrece
  • Inodoro, não irrita, é esterilizado devido a alta temperatura de expansão.
  • Absorve cinco vezes o seu pesoem água.
  • É lubrificante, não conduz eletricidade. As argamassas de VERMICULITE não trincam sofrendo pancadas.

DENSIDADE

A densidade de VERMICULITE depois de expandido é a seguinte, segundo uma classificação em tipos por peneiras.

TIPO DENSIDADE APARENTE GRANULOMETRIA PASSANDO ASTM RETENDO
1 90 kg/m³ 4 Mesh 6 Mesh
2 110 kg/m³ 6 Mesh 14 Mesh
3 125 kg/m³ 14 Mesh 20 Mesh
4 145 kg/m³ 20 Mesh 30  Mesh

Em argamassas isolantes feitas com cimento, usa-se normalmente uma mistura dos tipos 3 e 4.
As argamassas com cimento e VERMICULITE apresentam basicamente os seguintes dados:

VERMICULITE CIMENTO PESO ARGAMASSA PRONTA RESISTÊNCIA COMPRESSÃO CONDUTIBILIDADE TÉRMICA
8 1 285 a 300 kg/m³ 6 a 10 kg/cm² 0,40 kcal/m²xhx Cº/M
6 1 460 a 550 kg/m³ 9 a 14 kg/cm² 0,044 kcal/m²xhx Cº/M
4 1 460 a 550 kg/m³ 17 a 14 kg/cm² 0,060 kcal/m²xhx Cº/M
3 1 Para escultura

OBSERVAÇÃO

Sendo o VERMICULITE um material leve e extremamente frágil à compressão, antes de aglomerado necessita de um manuseio cuidadoso para se evitar perda de volume por compressão. Esta perda em geral é na geral é na confecção da argamassa, ao redor de 20%.
A técnica a ser aplicada na mistura é a seguinte: colocar o VERMICULITE numa caixa de argamassa. Umedecer com bastante água o VERMICULITE, com antecedência de algumas horas, fazer a mistura com cimento numa caixa com uma pa ou em uma betoneira, porem, num curto período de tempo, a fim de não haver perda de volume muito grande, acertar o ponto de plasticidade para aplicação adicionado-se mais água se necessário, aplicar desempenando-se de maneira convencional.

EMBALAGENS

Sacos com 100 litros, peso aproximado 9 a 12kg.