ADITIVOS (A)

Aceleradores
Plastificantes
Incorporadores de Ar
Impermeabilizante/Acelerador de pega
Expansores
Argamassas e Cimentos Especiais

REVESTIMENTOS (B)

Tintas
Vernizes
Primer
Epoxy Impermeabilizante
Esmaltes
Elastômero para Impermeabilização
Emulsão Asfáltica
Hidrofugantes

TRATAMENTOS (C)

Desmoldantes para Formas
Endurecedores para Concretos
Agentes de Cura
Removedores
Passivadores

CALAFETADORES (D)

Massa Plástica
Elastômeros
Mastiques

ADESIVOS (E)

Epoxy
Poliéster
PVA
Acrílico
Asfalto
Estireno Butadieno/Acrílico
Agregados
Produtos para Injeções

PISOS (F)

Primer
Poliuterano
Cimentos Especiais
Agregados
Emulsão Asfáltica / Resina Acrílica

IMUNIZANTES (G)

Fungicidas

DIVERSOS (H)

Isolante Térmico
Cimentos Refratários
Fungenband - Veda Juntas

DUROPRENE (B12)

Solução de elastômetro a base de borracha sintética de NEOPRENE (polímetro de cloro-butadieno, policloroprene).

O NEOPRENE foi a primeira borracha sintética fabricada em escala comercial, aliando as propriedades físicas da borracha natural de tenacidade e resistência com propriedade de resistência a luz solar, óleos, agentes químicos ou de efeito oxidante do ozônio e altas temperaturas, sendo também resistentes a propagação das chamas. Seu uso é vastíssimo como em estruturados de guarnições de borracha para automóveis , isolamento de condutores elétricos, gaxeta, etc.

Na construção civil seu uso está em apoios de NEOPRENE, gaxetas, perfis de vedação e de soluções líquidas para impermeabilizações em forma de pintura.

COMPOSIÇÃO BÁSICA

Borracha de NEOPRENE em solvente aromático

CARACTERÍSTICAS

As soluções de DUROPRENE apresentam as seguintes vantagens para impermeabilização:
1° - Resistência a intempéries: O DUROPRENE tem excelente resistência.
2° - Coloração: O DUROPRENE é fornecido nas cores: vermelho e amarelo

APLICAÇÕES

A solução de NEOPRENE pode ser aplicada sobre concreto, fibrocimento, madeira, ferro e tecidos diversos. Nylon, algodão e véu de vidro que são usados como reforço.

Pode ser usado também na impermeabilização de lajes planas, inclinadas, caixas d’água, muros de arrimo ou qualquer superfície sujeita a pressão ou água de percolação, vedação de trincas ou juntas de concreto, onde é sempre intercalado um tecido de nylon sanfonando-se o mesmo, vedação de vãos entre painéis de fechamento ou de cobertura pré-fabricadas, pintura impermeável para fachadas, paredes, etc.

MODO DE USO

Impermeabilização de lajes planas, inclinadas, calhas e juntas:
1° - EXECUCÃO:
Impermeabilização exposta ao sol:
a) Limpar bem a superfície a ser impermeabilizada. A mesma deve estar isenta de pó, óleos e outras sujeiras.
b) Recomenda-se que a primeira demão de DUROPRENE seja bem diluída para que haja uma boa impregnação e eliminação da poeira.
c) Posteriormente aplicar quatro demãos de DUROPRENE em cores alternadas para facilitar o controle de aplicação (amarelo e vermelho).
d) Como acabamento aplicar duas demãos de DURALON na cor branca.

2° - CONDIÇÕES:
As áreas a serem impermeabilizadas devem ter um caimento mínimo de 1 % ou de preferência mais.
A regularização deve ser feita com areia boa, sem material orgânico e devem ter o acabamento bem desempenado com areia fina peneirada, sendo a superfície áspera (acabamento acamurçado), não queimar com a colher.
O traço da argamassa deve ser de preferência 1:3
Trincas estruturais, cantos vivos e meias canas devem ser reforçados com um tecido de nylon cru, com largura variável de 20 cm para mais. Estes reforços levam pelo menos duas demãos de DUROPRENE. Ao redor de tubos e nas bocas dos condutores de águas pluviais, também devem ser aplicados os reforços têxteis.
Juntas de dilatação são executadas com um reforço de nylon mais pesado e espesso, com largura de faixa com colagem de pelo menos 15 cm de cada lado da abertura da junta.
As juntas de dilatação devem estar de preferência no ponto mais alto das regularizações com caimentos das águas para ralos ou inclusive serem executadas como se fossem os "divisores de águas".

3° - PRECAUÇÕES:
a) Não aplicar sobre a laje muito quente ou sol a pino, devido à rápida evaporação do solvente e vulcanização.
b) Não aplicar sobre a superfície úmida ou com orvalho.
c) O filme deve ser contínuo, uniforme e sem bolhas. O tecido não deve apresentar dobras.
d) A superfície deve ser limpa com escova de aço, devem estar secas e sem pó. Os grãos de areia não devem soltar com facilidade.
e) A aplicação é feita com rolo de lã de carneiro.

4° - OBSERVAÇÃO:
As vigas invertidas, muretas, platibandas, etc. devem ser impermeabilizadas na vertical inclusive, e nos topos a fim de se evitar infiltrações por detrás da impermeabilização.

5° - ALTERNATIVAS:
a) Impermeabilizações sombreadas ou com proteção de argamassa, ou com isolamento térmico por cima, devem ser feitas com uma demão de primer e no mínimo 6 demãos de DUROPRENE.
b) As impermeabilizações do tipo expostas também podem ser aplicadas sobre madeiras ou espumas rígida de POLIURETANO.

CONSUMO

Por demão de DUROPRENE - 350 gr/m²
Solvente indicado: Xileno (evaporação mais rápida) ou Tolueno (evaporação mais lenta)
O primer de DUROPRENE é obtido adicionando-se 20 a 40% de Xileno a solução normal

EMBALAGENS

Galão - 4 kg
Balde - 20 kg
Tambor - 200 kg

DURALON (B13)

Soluções de elastômetro a base de borracha sintética de HYPALON (polietileno clorosulfonato).
Revestimento elástico e impermeabilizante a base de elestômetro apresentam o incoveniente de se oxidarem rapidamente, quando expostos a ação dos raios solares e especialmente da ozônia. Pequenas concentrações de ozônio da ordemde 5 partes de 10 milhões de partes de ar, destroem os elastômeros normais, enquanto que o HYPALON (principal componente de DURALON), resiste a concentração de ozônia da ordem de 6%.
A extraordinária inalterabilidade do HYPALON faz do revestimento DURALON um produto de características inigualáveis para isolamentos e impermeabilizações em superfícies expostas a interopéries. Suas camadas resistem através de anos, sem perder as características de elasticidade interna.
Devida sua maior durabilidade em exposição ao sol, o DURALON é usado como acabamento, nas duas últimas demãos sobre os Revestimentos de Neoprene DUROPRENE (B12).
As películas do revestimento DURALON resistem a ácidos oxidantes, em baixas e altas concentrações e sendo completamente isaponificáveis, resistem também a álcalis. Suportam temperaturas de -30ºC a 120ºC, sem que suas principais características sejam alteradas gravemente.

CARACTERÍSTICAS

As soluções de DUROPRENE e DURALON apresentam as seguintes vantagens para impermeabilização:
1) Resistência a intempéries
Os dois materiais têm excelencia, sendo que o DURALON tem maior resistência a isolação. Por esta razão é usado normalmente nas últimas demões, além do que é relativamente mais caro que o DUROPRENE.
2) Coloções
O DUROPRENE é fornecido nas cores: vermelho, amarelo ocre e também preto, excepcionalmente.
O DURALON é normalmente fornecido na cor branca, porém pode receber qualquer coloração a pedido dos Arquitetos e Engenheiros.

COMPOSIÇÃO BÁSICA

Borracha de HYPALON em solvente aromático

APLICAÇÕES

As soluções de HYPALON podem ser aplicadas sobre concreto, fibrocimento, madeira, ferro e tecidos diversos. O tecido de nylon, algodão e véu de vidro que são usados como reforço.
São usadas para impermeabilização de lajes planas, inclinadas, caixas de água, muros de arrimo ou qualquer superfície sujeita a pressão ou água de percolação. Também usado na vedação de trincas ou juntas de concreto, onde é sempre intercalado um tecido de NYLON, sanfonando-se o mesmo. Vedação de vãos entre painéis de fechamento, impermeabilização de cobertura pré-fabricada, pintura impermeável para fachadas e paredes. Impermeabilização de caixas ou bacias de decantação de óleo de transformadores (Escarel) devido a sua excelente resistência a este óleo.

MODO DE USAR

Impermeabilização de lajes planas, inclinadas, calhas e juntas:

1° - EXECUÇÃO:

Impermeabilização exposta ao sol:

a) Recomenda-se que a superfície a ser impermeabilizada seja limpa, isenta de pó, óleos e outras sujeiras.
b) A primeira demão de DUROPRENE deve ser bem diluída para que haja uma boa impregnação e eliminação da poeira.
c) Posteriormente aplicar quatro demãos de DUROPRENE em cores alternadas para facilitar o controle de aplicação (amarelo e vermelho).
d) Como pintura de acabamento, aplicar duas demãos de DURALON na cor branca.

2° - CONDIÇÕES:

As áreas a serem impermeabilizadas devem ter um caimento mínimo de 1% ou de preferência mais.
A regularização deve ser feita com areia boa, sem material orgânico e devem ter o acabamento bem desempenado com areia fina peneirada sendo a superfície áspera (acabamento acamurçado), não queimar com a colher.
O traço da argamassa deve ser de preferência 1:3.
Trincas estruturais, cantos vivos e meias canas devem ser reforçados com um tecido de nylon cru, com largura variável de 2O cm para mais. Estes reforços levam pelo menos duas demãos de DUROPRENE. Ao redor de tubos e nas bocas dos condutores de águas pluviais, também devem ser aplicados os reforços têxteis.
Juntas de dilatação são executadas com um reforço de nylon mais pesado e espesso, com largura de faixa com colagem de pelo menos 1 5 cm de cada lado cobertura da junta.
As juntas de dilatação devem estar de preferência no ponto mais alto das regularizações com caimentos das águas para ralos ou inclusive serem executadas como se fossem as divisões de um monte elevadas.

3° - PRECAUÇÕES:

a) Não aplicar sobre a laje muito quente ou sol a pino, devido à rápida evaporação do solvente e vulcanização.
b) Não aplicar sobre a superfície úmida ou com orvalho.
c) O filme deve ser contínuo, uniforme e sem bolhas. O tecido não deve apresentar dobras.
d) A superfície deve ser limpa com escova de aço, deve estar seca e sem pó. Os grãos de areia não devem soltar com facilidade.
e) A aplicação é feita com rolo de lã de carneiro.

4° - OBSERVAÇÃO:

As vigas invertidas, muretas, platibandas, etc. devem ser impermeabilizadas na vertical inclusive, e nos topos a fim de se evitar infiltrações por detrás da impermeabilização.

5° - ALTERNATIVAS:

a) Impermeabilizações sombreadas ou com proteção de argamassa, ou com isolamento térmico por cima, devem ser feitas com uma demão de primer e no mínimo 6 demãos de DUROPRENE dispensando DUFALON.
b) As impermeabilizações do tipo expostas também podem ser aplicadas sobre madeiras ou espumas rígida de POLIURETANO.

CONSUMO

Por demão de DURALON: 350 gr/m²
Solvente indicado: Xileno (evaporação mais rápida) ou Tolueno (evaporação mais lenta)

EMBALAGEM

Galão - 4 kg
Balde - 20 kg
Tambor - 200 kg

OBS: As impermeabilizações com DUROPRENE e DURALON estão especificadas pela normas da A.B.N.T. nº. EB-638

FLEXCOTE EMULSÃO (B17)

CARACTERÍSTICAS

É um revestimento impermeabilizante elaborado a partir de emulsões betuminosas, elastômetro sintéticos e estabilizantes minerais.
FLEXCOTE possui grande elasticidade, tenacidade e vida útil mais longa.

APLICAÇÕES

Suas principais aplicações são impermeabilizações de lajes planas, calhas, abobadas e caixas de água. FLEXCOTE pode ser usado tanto em impermeabilizações expostas como em subterrâneas. Nas impermeabilizações expostas ao sol, FLEXCOTE por ser a base asfaltica, necessita de uma proteção contra os raios solares ou isolamentos térmicos, a fim de prolongar-se a vida útil da mesma.
No caso de coberturas de arquiteturas rara, cúpulas, abobadas, arcos, etc. recomenda-se uma pintura com PROTEX ALUMINIO espesso ou IMPERCYL sobre o FLEXCOTE ou um isolamento térmico com espuma de POLIURETANO, argamassas de ISOPOR, VERMICULTE, etc.
Em impermeabilizações planas, recomenda-se uma proteção mecânica com argamassa de cimento e areia 1:3, moldada no local com juntas de dilatação principalmente nas bordas, qualquer isolamento térmico ou sombreamento com placas de concreto.
Os revestimentos com FLEXCOTE em áreas pequenas não necessitam de reforço, em áreas grandes (acima de 100m²) necessitam de uns reforços com véu de fibra de vidro ou tecido de nylon.

MODO DE USO

FLEXCOTE deve ser aplicado com escovão ou rodo, em sucessivas camadas, tomando-se cuidado para que cada camada esteja seca antes da aplicação da seguinte. Recomenda-se aplicar ½ kg/m²/demão (0,5 kg/m²/demão) e no mínimo 4 demãos.

EMBALAGENS

Galão - 3,6 kg
Lata - 18 kg
Balde - 18 kg
Tambor - 200 kg